Inicio - Home
 
   
  Comentarios. Jornal do Brasil, Brasil  
 

Pedro Juan Gutiérrez: O cronista de Havana

Jornal do Brasil
Maio de 2001

ornal do Brasil, Brasil


Bienal do Livro, Rio de Janeiro

"A ARTE só importa quando irreverente, atormentada, cheia de pesadelos e desespero". A frase, do escritor cubano Pedro Juan Gutiérrez, dá bem a medida do estilo deste que está sendo considerado uma das maiores revelações da literatura cubana atual. Gutiérrez é o entrevistado do Café Literário Desvio de conduta: existe literatura marginal?, dia 23 de maio, às 20 horas.

   Seu livro, Trilogia suja de Havana, publicado no Brasil em 1999, e nunca editado em Cuba, apresenta uma visão impiedosa da ilha de Fidel. Nas três histórias apresentadas, os personagens - sempre baseados em pessoas que o autor conheceu - travam uma luta desesperada pela sobrevivência. São bêbados, mendigos e prostitutas.
Pedro Juan Gutiérrez (©PEDRO GOMES)

   Gutiérrez reconhece que 90% da obra, inclusive, são autobiográficos. "Às vezes penso que me desnudei em demasia diante do público. Trilogia é uma catarse, que escrevi entre 1994 e 1997, quando saía de um divórcio e tive que me separar de meus filhos. Além disso, o país estava em crise e meu pai havia morrido."

   Nascido em Cuba, em 1950, Gutiérrez, que já trabalhou como vendedor de jornais e cortador de cana-de-açúcar, diz que suas paixões são a pintura e a literatura, que ele descobriu porque teve a sorte de morar próximo a uma das melhores bibliotecas de seu tempo, onde passava horas lendo desde comics (muito populares nos anos 50) até Truman Capote, que ele diz ser uma das influências mais fortes de seu trabalho, ao lado de Norman Mailer, Grace Paley e Salinger, além de Cortázar e Kafka.

   Além da leitura de comics e da poesia, que escreve desde os 13 ou 14 anos, o trabalho como jornalista foi fundamental para que ele se tornasse escritor, como ele explica: "A poesia me ensinou a trabalhar palavra por palavra. O jornalismo me deu o lado pragmático." Gutiérrez publicou ainda O rei de Havana (editado no Brasil em fevereiro deste ano). Até o fim do ano, Animal tropical, seu próximo livro, será publicado.

Leer Leia as crônicas de Gutiérrez
O mundo aos olhos do 'animal tropical'
Caos cubano compensa vazio europeu

Leer Também leia
O melhor e o pior da Bienal
O Rei do Café
     
       
Subir - Go to top